imprensa

Tarifa do Samae Brusque é a segunda menor entre os 10 maiores PIBs de SC

A tarifa do Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae) de Brusque é a segunda mais barata dentre as 10 maiores economias do estado de Santa Catarina. Tomando como base o valor mínimo cobrado por 10 metros cúbicos, o município só fica atrás da cidade de Itajaí.

Atualmente, a autarquia brusquense cobra um valor mínimo de R$ 29,94 pela quantidade, ante R$ 29,20 no município vizinho. Apesar da diferença, vale ressaltar que Itajaí ainda não repassou o reajuste tarifário de 2021 para a população. Diferente de Brusque, que repassou 3,988% de correção. Confira, abaixo, o top 10:

Tarifas mais baratas por 10 metros cúbicos:

1º lugar: Itajaí (R$ 29,20)
2º lugar: Brusque (R$ 29,94)
3º lugar: Blumenau (R$ 33,56)
4º lugar: Jaraguá do Sul (R$ 35,22)
5º lugar: Balneário Camboriú (R$ 36,00)
6º lugar: Joinville (R$ 36,34)
7º lugar: Chapecó, Criciúma, Florianópolis e São José, todas atendidas pela Companhia Catarinense de Águas e Saneamento, a Casan (R$ 49,09)

“O reajuste de Itajaí deve vir por março agora. Depois de repassar para o cidadão, a tendência é que a cidade de Brusque fique com o menor valor de água dentre os maiores PIBs”, ressalta o diretor-presidente do Samae, Luciano Camargo.

Outro ponto a se observar, de acordo com Luciano, é o fato de os demais municípios do ranking agregarem às suas tarifas os valores referentes ao tratamento de esgoto. Em cidades como Jaraguá do Sul, São José, Chapecó, Criciúma e Florianópolis, por exemplo, as tarifas acima apresentadas são aumentadas em 100% para o custeio do serviço. Joinville, Balneário Camboriú e Itajaí oneram as contas em 80%, enquanto que em Blumenau este quociente é de 63%.

“Então esse é um levantamento que mostra que Brusque está dentro de um valor normal e aceitável dentro da economia catarinense; até bem abaixo de muitos municípios”, complementa Camargo. “Com certeza está muito abaixo também de cidades com PIBs inferiores ao nosso. Basta ver em cidades vizinhas, cujo os preços estão muito além dos praticados aqui”.

Mesmo com uma das menores cargas tarifárias do estado, o Samae Brusque continua sendo referência estadual em tratamento e fornecimento de água tratada. Exemplo disso foi o último período chuvoso, onde cidades vizinhas pararam de realizar o tratamento com a turbidez de água bruta chegando a 7000 NTU (Unidade de Turbidez Nefelométrica). Mesmo com vazão reduzida, a Estação de Tratamento de Água (ETA) Central continuou operando mesmo quando os valores chegaram a 11000 NTU.

“Nossa missão é continuar fazendo, junto com o governo municipal, um Samae rápido, eficiente, e com uma das menores taxas de Santa Catarina”, finaliza o diretor-presidente.